Rede DPaschoal realiza capacitação voltada a mulheres no mês de março



A DPaschoal promove durante o mês de março cursos de mecânica gratuitos para capacitação de mulheres. As participantes irão receber informações básicas sobre as condições gerais dos veículos para que desenvolvam aptidão para cuidar do carro no dia a dia. Segundo a empresa, cinco mil mulheres deverão ser capacitadas em 2019.

O curso direcionado ao público feminino acontece desde 1984 e este ano será promovido até 30 de março em 141 das 164 lojas da rede. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas presencialmente ou por telefone nas próprias lojas. Cada turma tem, em média, 30 inscritas. O curso tem duração de 3h30, em média, com aulas teóricas e práticas.

Em 32 lojas da DPaschoal gerenciadas por mulheres, são elas que também ajudam a organizar e a ministrar os cursos que ensinam noções básicas de manutenção dos veículos, incluindo sistemas de rodagem (pneus e rodas), suspensão (amortecedores, pivô terminal etc.), freio (pastilha e disco), bateria, palheta e motor com filtros e óleos, além de serviços de alinhamento, balanceamento, higienização de ar-condicionado e cristalização de vidros.




Levantamento da PPG apresenta maior procura de mulheres por vagas de colorista



A PPG estima que número de mulheres coloristas no mercado automobilístico está crescendo. Um levantamento realizado pela empresa apresentou, nos últimos cinco anos, um aumento de 10% na procura por mulheres que querem ser coloristas ou aprimorar o conhecimento na área. Além disso, no período, a PPG treinou quase 2 mil profissionais, sendo que, desse total, 8% eram mulheres.

“Oferecemos o treinamento de colorimetria para nossos clientes e parceiros, e percebemos esse crescimento, principalmente devido ao dom natural da mulher de distinguir mais cores que o homem”, diz o gerente técnico do laboratório de Repintura Automotiva da PPG, Ricardo Vetorazzi. Cientificamente, a mulher enxerga melhor os tons de cores do que os homens. Segundo estudo da XRite, fabricante de produtos de medição e gerenciamento de cores, 1 em cada 255 mulheres pode ter uma disfunção visual, enquanto que para os homens a proporção é de 1 para 12.

O colorista que trabalha em oficinas de repintura, montadoras e fabricantes de tintas e é responsável por inspecionar e controlar a qualidade de cores de toda a cadeia produtiva, ou seja, tudo aquilo que possui cor acaba tendo a aprovação final desse profissional. Segundo a PPG, uma característica muito positiva do ofício é que, devido à experiência necessária, existe a preocupação por parte das empresas de reter os talentos e, por isso, o movimento de rotatividade de colaboradores é mínimo.

Não existe uma faculdade para formar coloristas. A profissionalização é resultado da participação em cursos, treinamentos e da experiência adquirida. Para o colorista iniciar sua carreira, é necessário que tenha feito ao menos um curso técnico. No curso básico é ensinado os conceitos fundamentais de cor, iluminantes, entre outros. Já o avançado ensina o manuseio de equipamentos como o espectrofotômetro e os softwares de cor pois, com eles, o profissional aprende desde o simples ajuste da cor até a formulação final de uma cor.