Arrefecimento – Troca da bomba d’água do Chevrolet Corsa 2008, motor 1.4 Econo.Flex

 

Acompanhe o passo a passo para substituir a bomba d´água dos motores Chevrolet Econo.Flex e as dicas do técnico especialista da Nakata

Texto: Raycia Lima
Foto: Lucas Porto

À primeira vista alguns procedimentos para trocar itens de um veículo são simples de realizar quando o mecânico é experiente. A troca da bomba d’água talvez seja um desses afazeres comuns que o profissional realiza de maneira fácil. Apesar disso, existem alguns processos que facilitam o trabalho e consequentemente proporcionam agilidade. Quanto menos tempo o veículo ficar na oficina, melhor para o mecânico e para o cliente, pois ele vai receber o carro mais rápido

 

Geralmente os sintomas de que a bomba está fadigada são o aumento da temperatura de trabalho do motor, vazamento do liquido de arrefecimento pelo selo, barulho no rolamento e até a mudança na cor do líquido para a cor de ferrugem.

 

A Revista o Mecânico sempre busca levar a melhor informação para o profissional da oficina e auxiliá-lo no dia a dia de trabalho. Nesta edição mostramos o procedimento para realizar a troca da bomba d’água de um Chevrolet Corsa 2008 motor 1.4 Econo.Flex.

 

O PASSO A PASSO DA TROCA FOI REALIZADO NAS INSTALAÇÕES DA FABRICANTE DE AUTOPEÇAS NAKATA, EM OSASCO/SP, COM O TÉCNICO EDUARDO MARCOS GUIMARÃES, QUE TRABALHA NA ASSISTÊNCIA TÉCNICA DA EMPRESA HÁ 16 ANOS.

 

DESMONTAGEM DOS PERIFÉRICOS

 

1. Retire a roda dianteira-direita com a chave de roda do próprio veículo. Caso for utilizar a ferramenta da oficina, certifiquese que a medida é a correta

 

 

2. Com uma chave Torx T30 abra o suporte do filtro de ar para ter o acesso fácil a correia de sincronismo e posteriormente a bomba d’água.

 

 

3. Solte a abraçadeira do lado esquerdo do suporte com uma
chave de fenda normal.

 

 

4. Use o alicate para tirar a mangueira de respiro da tampa de válvula

 

 

5. Após soltar o suporte, retire-o da esquerda para a direita. Não esqueça de soltar as mangueiras acopladas à proteção.

 

 

6. Em seguida, abra a carenagem externa superior da correia com uma chave soquete 8mm. Para isso solte os três parafusos localizados na parte de cima da carenagem.

 

 

7. Depois de retirar a parte superior externa da carenagem inicie a sincronização da correia.

 

 

8. Há na carenagem interna do lado superior um relevo, ele deve estar rente a marca da GM na polia do eixo de comando de válvulas. Apenas nessa posição, pois só assim o sistema do motor estará na posição correta de sincronização. Também verificar a marca da polia dentada do virabrequim que deve coincidir com as marcas da bomba de óleo.

 

 

9. Logo após, faça a retirada da carenagem externa do lado inferior

 

 

10. Esse procedimento é realizado para acessar base da polia da correia de sincronismo, também conhecida como correia dentada.

 

 

11. Com toda a carenagem retirada faça a retirada do esticador da correia de acessório com uma chave combinada 15 mm.

 

 

12. Após soltar o item, tensione o esticador para o sentido oposto, isso alivia a tensão da correia de acessório, logo em seguida retire-a.

 

 

13. O próximo passo é a retirada da polia dentada. Para isso solte os parafusos usando uma chave soquete E18 mm.

 

 

14. A seta da polia dentada do virabrequim precisa estar em sincronismo com a fenda da bomba de óleo.

 

 

15. Depois desse procedimento, o próximo passo é retirar a carenagem na parte interior inferior. Solte todos os parafusos da carenagem.

 

 

16. Solte o rolamento auxiliar da correia de acessórios que fica em cima da polia dentada girando-a para o lado direito. Use uma chave combinada de 15 mm.

 

 

17. Após retirado o rolamento, remova a carenagem interior inferior.

 

 

18. Na sequência é necessário calçar o motor para a retirada do coxim. A remoção do coxim acontece porque não se consegue tirar a correia sem retirar o item.

 

19. Logo em seguida use uma chave Torx E12 para soltar os parafusos do coxim. Retire o coxim, tanto na parte do motor quanto na parte do chassi

 

 

20. Em seguida tire o parafuso da polia do comando de válvula com uma chave torx 40 mm. (20a) Retire o tensionador para posteriormente ser trocado por um novo (20b).

 

 

 

21. Tire a correia e em seguida a polia.

 

 

22. Para a retirada da parte superior da carenagem interna use uma chave Torx T27.

 

 

.

23. Após a retirada da última parte da carenagem, o acesso é total a bomba d’agua

 

 

RETIRADA DA BOMBA D’ÁGUA

 

24. Após a retirada e desmontagem de todos os periféricos para se ter acesso a bomba d’agua, devese usar uma chave allen 5 para a retirada do item. No total são 3 parafusos.

 

 

25. Antes de remover a bomba danificada, separe um recipiente e coloque-o embaixo do veículo, a fim de recolher o liquido de arrefecimento que será derramado após a remoção do componente, já que todo o liquido da bomba sairá após o deslocamento da bomba d’água.

 

 

26. Depois disso é só puxar a bomba d’agua usada. Nesse ponto é importante destacar que aditivos de má qualidade deixam o bloco e os demais componentes que tem contato com o fluido de arrefecimento desprotegidos.

 

 

ANÁLISE DA BOMBA D’ÁGUA

 

O técnico da Nakata, Eduardo Guimarães, explica que a bomba d’água do veículo usado na matéria não é original. O carro tem 140 mil km rodados e a peça já apresentava folga no rolamento que gera ruídos durante o funcionamento na rotação do motor. Existe também um início de vazamento através do selo. Outro detalhe notado é que a bomba danificada já apresenta alguns pontos enferrujados na própria bomba que são ocasionados por falta de manutenção preventiva ou aditivos de má qualidade. O ideal é trocar o líquido a cada 2 anos.

 

A bomba d’água é feita de alumínio e o bloco do motor de ferro fundido. Se o aditivo for de má qualidade deixa o bloco e todo o sistema desprotegido. “Aquela água amarronzada que sai do motor e muita gente acha que é terra, na verdade é oxido de ferro que sai do bloco do motor por conta do processo de oxidação. Isso afeta os outros componentes do motor como por exemplo a bomba d’água”.

 

Eduardo destaca que é essencial usar um bom aditivo, pois ele tem ação antioxidante, anticongelante, além de inibir formação de espuma no liquido e retarda o tempo de elevar a temperatura de ebulição da água. Um item essencial para manutenção preventiva da bomba.

 

No entanto, é preciso ficar atento a pressão do sistema de arrefecimento, também responsável pela elevação do ponto de ebulição do líquido de arrefecimento e prevenção do fenômeno da cavitação na região de sucção da bomba d’agua. Nesse ponto é preciso lembrar que a cavitação é um dos principais fenômenos que diminuem a vida útil da bomba d’água e dos cilindros do motor do tipo “camisas úmidas”.

 

 

PROCESSO DE MONTAGEM

 

27. O processo de instalação da nova bomba d’água é simples, basta encaixar a nova peça no local que estava a antiga, porém é necessário se atentar a posição do item. O furo do dreno deve ficar para baixo e os pontos de onde vão os parafusos estão indicados em pequenas cavidades na peça.

 

 

28. Antes de instalar a bomba d’água não esqueça de colocar o anel de vedação que vem junto com a peça nova

 

 

29. O técnico da Nakata indica que seja feita a troca da correia dentada e do tensionador em conjunto com o da bomba d’agua, principalmente como medida preventiva. Principalmente se a quilometragem do conjunto correia/ tensionador não for conhecida ou se estiver próximo da quilometragem recomendada para a troca

 

 

30. A partir desse momento basta realizar o processo de remontagem da mesma forma que se fez o de desmontagem

 

 

31. É necessário ficar atento as arruelas que vão em conjunto com os parafusos da bomba d’agua, pois são eles os responsáveis pela fixação ideal do componente.

 

 

32. Eduardo salienta que o torque usado nos parafusos no momento de remontagem deve seguir o padrão da montadora, desde os parafusos da carenagem até os da polia do virabrequim e comando de válvula

 

 

33. Na substituição do tensionador, o mecânico deve prestar atenção no fato de que a peça apresenta um posicionamento ideal para regulagem da tensão. Não esqueça de ajustar exatamente no local indicado. Quando todos os periféricos estiverem montados e chegar ao final do procedimento, não esqueça de colocar o novo líquido de arrefecimento. A proporção correta é de 40% de aditivo e 60% de água desmineralizada.

 

 

Mais informações – Nakata Automotiva: 0800-707-8022