Desmontagem e dicas da caixa VW

Vamos apresentar nessa reportagem as características, dicas de manutenção, desmontagem e montagem da caixa de câmbio MQ200, que em suas várias aplicações, equipa a maioria da gama da Volkswagen no Brasil

Carolina Vilanova

5058

Uma caixa de transmissão leve, robusta e com engates precisos, assim é o conjunto que equipa os veículos da Volkswagen, Gol, Voyage, Saveiro, Fox e Polo, conhecida pela maioria dos mecânicos como MQ200. Montada na posição transversal, a caixa é compacta e leve devido a carcaça composta por uma mistura de alumínio e magnésio, com capacidade de suportar torques de até 200 Nm. Poucas mudanças diferenciam uma caixa da outra, dependendo do modelo, do peso da carroceria e dos motores 1,0 l 1.6 l e 1.8 l, variam internamente em relação de marchas. Mas em geral, todas têm a mesma manutenção e procedimentos de montagem e desmontagem.

A caixa é do tipo manual e foi batizada pela Volkswagen de 02T, dotada de cinco velocidades para frente e uma a ré. Foi desenvolvida com um design modular, justamente para ser intercambiável, e dois conjuntos de árvores “ocas”, o que privilegia a leveza. Tem comando feito por cabos e uma embreagem hidráulica. De acordo com o instrutor do módulo da Volkswagen do SENAI-Ipiranga, Melsi Maran, a caixa MQ200 tem fácil manutenção e pode ser retirada do veículo, para reparos, sem muito esforço.

5019

Ele explica que a caixa de acionamento manual, construída com duas árvores (primária e secundária) e um eixo adicional para a marcha a ré. As engrenagens das árvores primária e secundária possuem dentes helicoidais e as engrenagens da transmissão são montadas sobre rolamentos de agulhas que proporcionam suavidade nas marchas. “A 1ª e 2ª marchas são montadas na árvore secundária e contam com sistema de sincronização dupla, enquanto que a 3ª, 4ª e 5ª marchas são montadas na árvore primária”, completa.

Diagnósticos

O técnico que receber um carro com sintomas de problemas no câmbio deve ter muito cuidado para se certificar da necessidade de abrir a caixa, pois é um serviço demorado e caro, sendo que a avaria pode ser na embreagem. “Quando o problema é na embreagem, a transmissão vai apresentar dificuldade de engrenamento em todas as marchas, se a dificuldade for em uma só marcha, pode estar no dispositivo sincronizador , o chorinho da transmissão, (ruído agudo e constante) é característicos de folga de dentes, folga de rolamento e má aplicação de óleo. Ao escutar um ronco interno, varia em função da mudança de marcha e aplicação de torque, são problemas causados por desgaste interno dos rolamentos das árvores primária, secundária e do diferencial”, diz o instrutor.

4975

O óleo, de especificação G052.512.A2, é do tipo longa vida, ou seja, não há necessidade de se verificar o nível ou de trocar, a não ser que apresente vazamentos ou que a transmissão seja reparada e o líquido drenado.

Na hora do serviço, algumas ferramentas específicas são essenciais para cada tipo de transmissão: sacadores de rolamentos ou buchas, prensa para desmontar as engrenagens e as pistas de rolamentos, soprador térmico, morsa e a literatura técnica. Não se esqueça de usar óculos de proteção, sapatos com biqueira de aço e luvas, que podem ser as químicas.

4958

Melsi Maran explica que para selecionar a literatura adequada é preciso conhecer a transmissão na qual está fazendo o serviço, ou seja, saber sua identidade, afinal os veículos usam a mesma caixa com determinadas especificações para cada modelo. “O técnico deve saber qual o prefixo e a identidade da transmissão para encontrar aplicações das peças e procedimentos necessários. O prefixo da transmissão é composto por três letras identificando o motor, a carroceria, e as relações internas, seguido da data de fabricação, que de um ano para outro pode apresentar modificações”, complementa.

Desmontagem

Para iniciar a desmontagem use um cavalete para trabalhar a caixa com segurança. A recomendação é substituir todos os parafusos na montagem, que podem romper por conta do torque angular. Também coloque retentores e travas novas.

Com a caixa limpa e o óleo drenado através do bujão de escoamento, retire também os periféricos:

• bujão de escoamento do óleo

• parafusos da carcaça com a tampa da transmissão

• dois parafusos que fixam o suporte de articulação do garfo de engate de marchas

• tampa da haste seletora

• interruptor da ré

• duas flanges das árvores de transmissão as rodas

• dois suportes de articulação do garfo de engrenamento de marchas

• dispositivo de seleção e engate de marchas

1) Comece a desmontar a tampa da quinta marcha, removendo os parafusos. A junta de borracha precisa ser trocada sempre que houver intervenção, assim como retentores e travas.

5060

2) O conjunto da quinta marcha engloba garfo de engrenamento, luva de engate, engrenagem principal e secundária e cubo sincronizador. Para retirar o garfo, remova o pino que segura a tampa.

5043

3) Retire o garfo de engrenamento e em seguida os parafusos que prendem o suporte dos garfos de engrenamento de marchas. Use uma chave estriada.

4973

4) Agora, remova a tampa da haste seletora, soltando os dois parafusos e mais um parafuso que prende o eixo da marcha.

5023

5) Solte a porca do parafuso que prende a haste do garfo de seleção.

4994

6) Para retirar o dispositivo de seleção de engate de marchas, solte os parafusos. A peça é colada na flange, se tiver dificuldade, bata com cuidado com um martelo de borracha (6A).

  • 4977
    6A
  • 4972
    6B

Obs.: haste que faz a seleção de engate das marchas tem dois tampões com duas molas para acionar o dispositivo. Faça uma inspeção visual e um teste de funcionamento (6B).

7) Retire, em seguida, os suportes de articulação da haste de engate e os anéis o´rings para não vazar o óleo que vai ser substituído.

4985

8) Depois, remova a flange de ligação das árvores de transmissão, por meio dos dois parafusos. Use uma chave do tipo allen 6mm. Retire a flange do outro lado, também com a mola e a peça cônica usada para diminuir a vibração.

4959

9) Não esqueça de desconectar o sensor de velocidade.

4992

10) Remova os parafusos externamente e internamente na caixa e na embreagem, que fecham tampa com a carcaça da caixa de mudança. Retire os parafusos da carcaça.

4997

11) Em seguida, retire o vedador de óleo da flange do eixo da transmissão, que deve ser trocado por um novo.

4990

Vire a caixa:

1) No conjunto da quinta marcha, retire a trava que prende o cubo sonoro com a árvore primária. Utilize um alicate especial. Não esqueça dos óculos de segurança.

5047

2) A engrenagem da quinta marcha tem mais uma trava que precisa ser removida com alicate específico.

5020

Obs.: procure um apoio para que a trava não escape. A recomendação é substituir todas as travas.

3) Retire o conjunto da quinta marcha: anel sincronizador, luva de engrenamento, cubo sincronizador, molas das chavetas e chavetas.

4952

4) A engrenagem secundária de quinta velocidade sai sem interferência. Observe que cada componente retirado possui uma posição ideal de montagem, senão não permite movimento.

5040

5) Retire o rolamento da engrenagem da quinta marcha, que está encaixado na pista da árvore primária. Verifique o desgaste nas pistas, nas engrenagens e no rolamento.

5051

6) Faça a remoção da carcaça e lembre-se de aplicar a cola específica na hora da montagem. A peça sai juntamente com o conjunto primário da caixa.

5012

7) Agora, remova o pinhão que prende a coroa do diferencial.

5048

Obs.: A única regulagem necessária desta caixa é a regulagem de pré-carga dos rolamentos do apoio da caixa do diferencial, que são cônicos. Utilize calço de 1 mm lado da tampa e, após medir a folga da caixa, adicione um calço de 0,35 mm debaixo do anel de rolamento da carcaça como pré-carga.

8) Os rolamentos de rolos paralelos encaixados na tampa da caixa devem ser retirados por meio das travas de fixação.

4976

Obs.: Durante a instalação do conjunto não encoste os componentes e coloque os rolos com muito cuidado. Não pode bater para forçar.

9) Para apoiar as árvores durante a desmontagem e montagem, use o bloco ferro especial T10083.

4960

10) Em cima existem seis parafusos que prendem a placa onde estão alojados os rolamentos das árvores. Essa placa deve ser substituída após a sua remoção. Use a prensa e outra ferramenta tipo bloco para dar pressão para deslocar o conjunto primário e secundário com a placa que está sob interferência.

5014

Obs.: Cuidado com o deslocamento, pois os garfos estão soltos e podem danificar os dentes das engrenagens.

11) Com ajuda de um colega, retire as duas árvores com a ferramenta T10081. Os garfos têm que acompanhar o movimento das árvores juntas. Se tiver dificuldades, pare e veja se o procedimento está correto. Lembre-se que o garfo sai junto.

5035

12) Desmonte o conjunto que está preso, para isso, use a ferramenta especial Placa VW 402 que será encaixada na segunda engrenagem de acionamento, entre a engrenagem e a luva, em cima, está a outra ferramenta do tipo bloco para aplicar carga hidráulica na prensa e extrair os conjuntos.

4966

13) A plaqueta sai e ficam apenas duas árvores e a ferramenta que divide a 1ª engrenagem

5005

Obs.: Cuidado quanto o alinhamento das árvores.

14) Agora que a árvore primária foi removida, com o conjunto secundário na prensa, tire a trava que prende o cubo sincronizador com cuidado com a chave de fenda para aliviar e deslocar a trava.

5033

15) O conjunto sincronizador pode ser retirado com a ajuda do dispositivo T10081. Apóie a ferramenta entre as engrenagens da segunda e terceira velocidades.

5004

16) Coloque a peça de novo na prensa, apoiada no dispositivo T10084. Aplique a carga e segure na parte de baixo do conjunto para evitar que caia no chão.

5007

17) Agora, desmonte o conjunto da primeira e da segunda velocidades, que contem os anéis sincronizadores e a engrenagem da segunda marcha. Com alicate, tire a trava que tem uma inclinação voltada pra cima.

4978

18) Retire a engrenagem e fique atento para o rebordo, que deve ser voltado para baixo e a parte lisa para cima, não permitindo montagem errada.

4968

19) Tira a trava que apóia a engrenagem de terceira velocidade. Restou mais uma trava, que prende a engrenagem da quarta velocidade, nesse caso o rebordo voltado para cima (19A).

 

  • 4986
  • 4988

Obs.: No pinhão, faça inspeções visuais, assim como na pista do rolamento de rolos paralelos. Veja se os dentes estão com coloração escura, riscos e fissuras nas pistas, nos dentes e em toda a árvore. Verifique também deformações na canaleta das travas (19B).

Eixo primário

1) Fixe a peça na morsa e retire a trava com alicate de trava de bico chato. Troque a trava por outra nova.

5037

2) A pista é montada sob interferência, por isso temos que usar o dispositivo Placa VW 402 de novo, colocado embaixo dos dentes de engate da engrenagem, bem apoiado para ir à prensa com o tubo de apoio. Aplique a carga.

4993

3) Com a pista do rolamento liberada, solte a arruela, a engrenagem da quarta marcha, o rolamento de rolos paralelos e o conjunto sincronizador.

5053

4) A última engrenagem a ser retirada é a terceira. Faça o mesmo procedimento

4969

Exame minucioso

• Com os dois conjuntos separados e desmontados, na ordem de trabalho, inspecione as engrenagens fixas da árvore primária.

• Verifique os anéis quanto a trincas, dentes e folga da engrenagem, que tem o valor compatível com cada modelo.

– Cheque ainda o rolamento de rolos paralelos e a sua pista. Veja se há fissuras, quebras ou desgaste também na pista interna da engrenagem.

Montagem:

Para montar as engrenagens, o técnico deve fazer o processo inverso da retirada, usando sempre as ferramentas adequadas e a morsa.

1) Monte a árvore primária: rolamento, engrenagem da terceira velocidade, anel sincronizador, cubo sincronizador, com rebordo para baixo, pista, rolamento e a engrenagem da quarta. Coloque na prensa.

Obs.: Na hora de colocar as travas, veja que o lado mais fechado é voltado para cima.

2) Quando os dois conjuntos estiverem montados, use a ferramenta T10083 para prensá-los.

3) Coloque os conjuntos juntos com o eixo da ré e encaixe o garfo na mesma posição inicial, com as sapatas da luva da primeira e segunda e da terceira e quarta, o eixo e a engrenagem da marcha ré.

4) Colocar uma mangueira no lugar do parafuso de apoio do garfo para servir de guia para colocação na carcaça.

5) Na carcaça, existe o furo guia do eixo da marcha ré. Empurre até encaixar e fazer o alinhamento para introduzir o parafuso.

6) Agora, coloque o parafuso do suporte do eixo da marcha ré, para evitar que saia de posição.

7) Em seguida, conecte os parafusos de fixação da placa de rolamentos. Encoste os parafusos e depois aplique o torque de 25Nm, com a cola específica.

8) Posicione a caixa no cavalete para encaixar o diferencial e feche a carcaça. A pista do rolamento deve encaixar com precisão dentro dos rolos paralelos na carcaça. Não pode bater, senão danifica o rolamento. Feche com a cola específica pelo fabricante, de acordo com a literatura técnica.

Colaboração técnica: SENAI Ipiranga